Pages

Subscribe:

17 de fevereiro de 2009

Aécio vence Serra e força as prévias


OS CANDIDATOS DO PSDB a presidente da República ­ o governador de São Paulo, José Serra, e o de Minas Gerais, Aécio Neves ­ começam a esquentar as coisas dentro do partido. Veja o caso do presidente da legenda, o senador Sérgio Guerra (PE), um homem calmo e normalmente apaziguador. No dia 17 de janeiro, ou seja, há um mês, esta coluna ouviu Sérgio Guerra sobre a possibilidade de realização de prévias no partido. Pois os aliados do governador de São Paulo, que lidera as pesquisas eleitorais, não querem as prévias, ao passo que o governador de Minas já declarou publicamente que não abre mão desse mecanismo de consulta ao partido. Naquele dia, a coluna reproduziu a seguinte declaração de Sérgio Guerra: ­

Realmente, se houver dois candidatos, a solução será realizarmos prévias eleitorais. Mas não creio que haverá prévias, porque tudo indica que os dois candidatos, ou seja, o Serra e o Aécio, irão se entender. Argumentei com o senador que o PSDB tende a enfrentar turbulências até a escolha de seu candidato. E Guerra retrucou: ­ Turbulência? Que turbulência? Não haverá turbulência nenhuma. Eles vão se entender. E sem necessidade de prévias. Curiosamente, alguns dias depois Aécio chamou Sérgio Guerra para uma conversa. Ontem a coluna procurou o senador e perguntou o que o governador de Minas queria. Sérgio Guerra revela com franqueza: ­ O governador pediu que a direção do partido agilize a regulamentação das prévias, e eu fiquei de tocar isso a partir desta semana, quando estamos retomando o período legislativo. Como? Então vai haver prévias? Mas o Sérgio Guerra não estava apostando que elas não seriam necessárias? O senador se explica: ­

Na verdade, ainda na gestão de Tasso Jereissati como presidente do PSDB a Executiva decidiu que haveria prévias. Ninguém manifestou posição contrária. Foi designada até uma comissão para regulamentar o processo. Eu disse que não haveria prévias se os dois candidatos se entendessem. Mas, sem acordo, haverá prévias e ponto final. Não posso negar ao Aécio o direito de se submeter ao partido. E o Serra também nunca disse a mim que é contra as previas. Se tem gente falando por aí, eu ignoro, não presto atenção, pois a decisão já foi tomada. Deu para entender? O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, acaba de vencer o primeiro round da sua disputa com José Serra: arrancou da direção do partido o compromisso de realização das prévias. A turma do Serra pode chiar à vontade, mas, se não convencer Aécio a desistir da candidatura, vai ter que engolir as prévias.

Aécio, por sua vez, parece cada dia menos propenso a desistir. Cobrou de Sérgio Guerra, no tal encontro, o cumprimento de uma decisão tomada pela Executiva na época em que Tasso Jereissati (inimigo figadal de Serra) dirigia a legenda. E o atual presidente, Sérgio Guerra, não teve como tergiversar. Está deixando claro aqui que irá cumprir a decisão, realizando as prévias. Só há uma hipótese de este sistema de consulta partidária não vingar agora entre os tucanos: se o Tribunal Superior Eleitoral proibir. No ano passado, o PSDB enviou aos magistrados duas questões sobre o assunto. A primeira, para saber como se realizariam prévias fora do período eleitoral, sem se caracterizar como campanha antecipada.

A outra questão era sobre a arrecadação financeira para as campanhas dos candidatos às prévias. A expectativa dos tucanos é que o Tribunal responda por ora às duas questões. Se o TSE responder que desta ou daquela forma dá para ocorrerem as prévias, tudo bem. Mas há a hipótese de que se considere o modelo inviável no sistema eleitoral brasileiro. Aí Aécio e companhia teriam que colocar a viola no saco. Juristas, no entanto, consideram esta hipótese pouco provável. Resta saber se isso vai ser bom ou ruim para o PSDB. No sistema bipartidário dos EUA, as prévias se realizam dos dois lados.

Os desgastes provenientes do fogo cruzado entre os candidatos às prévias são distribuídos igualmente pelos dois partidos. Republicanos e democratas são igualmente beneficiados e prejudicados. Aqui, Serra e Aécio ficariam trocando chumbo, enquanto a candidata do PT, Dilma Rousseff, flanaria lépida e solta atrás de eleitores.(JB)

1 Comentários:

DANIEL PEARL disse...

DILMA A MELHOR CANDIDATA

A Mídia Conservadora e Golpista tenta desestabilizar a possível candidatura da Ministra Dilma Rousseff a sucessão do presidente Lula em 2010, mas está a pleno vapor fazendo campanha milionária para o tucano José Serra, um Fernando Henrique Cardoso piorado. Todos os candidatos que estão a mesa, o governador Aécio Neves(PSDB), Ciro Gomes(PSB com penas de tucano), José Serra(PSDB) e a vereador por Maceió, Heloisa Helena (Psol), a Ministra Dilma Rousseff é a mais qualificada, a mais honesta, a mais prudente, a mais experiente, e a que mais conhece a fundo a estrutura do Governo Federal. Depois que assumiu as pastas do Ministério de Minas e Energia e o Ministério da Casa Civil, Dilma Rousseff se tornou na Ministra mais eficiente do Governo Lula, aquela que sabia despachar e dialogar com todos os Ministros e Autoridades, sem nenhuma prepotência ou discriminação. Dilma conquistou a confiança do presidente Lula, ao ponto de hoje se tornar a preferida a substituí-lo do cargo de presidente em 2010. Dilma tem todas as condições de se tornar a próxima presidente do Brasil, e tenho a certeza que será melhor que o presidente Lula. A experiência, a seriedade e pulso forte é uma característica de um grande administrador, e isso Dilma Rousseff tem de sobra. Os 84% de popularidade do presidente Lula se deve a Ministra Dilma Rousseff, que depois da saída de José Dirceu do comando da Casa Civil, ela arrumou o Governo Federal que sepultou de uma vez todos os escândalos da época, o Governo Lula se tornou EFICIENTE, graça a Dilma Rousseff. Escrito por Daniel Pearl - um dos editores do Blog Dilma 13 Presidente. http://dilma13.blogspot.com/

Postar um comentário